Confira a programação especial que a UNIVESP TV preparou em comemoração à data

18/11/16


O Dia Nacional da Consciência Negra é celebrado, no Brasil, em 20 de novembro. Esta data é lembrada por causa da morte de um importante líder de resistência negra contra a escravidão durante o período do Brasil Colônia, Zumbi dos Palmares.

Para fazer refletir e comemorar a data, a UNIVESP TV preparou uma programação especial para o final de semana. Confira:

ESTÚDIO UNIVESP: Especial Consciência Negra

Os apresentadores Ederson Granetto e Tatiana Bertoni recebem a professora Vera Lúcia Ferlini, da FFLCH-USP, e o professor Pedro Paulo Funari, do IFCH-UNICAMP, para  abrir um debate a respeito da luta dos negros pela liberdade e integração social. 

FALA, DOUTOR: Executivos Negros

Pedro Jaime de Coelho, da FFLCH-USP, fala sobre sua tese “Executivos negros: racismo e diversidade no mundo empresarial, uma abordagem sócio-antropológica”. O pesquisador analisa a trajetória profissional dos executivos negros do Brasil e faz um comparativo entre a geração dos profissionais que entraram no mercado de trabalho no final dos anos 1970 e os profissionais do início do século XX. 

FALA, DOUTOR: Literatos Negros, Racismo e Cidadania

Ana Flávia Magalhães Pinto fala com o apresentador Rodrigo Simon sobre a tese “Fortes laços em linhas rotas: Literatos negros, racismo e cidadania na segunda metade do século XIX”. A pesquisa, realizada no IFCH-UNICAMP, trata de experiências de homens negros, livres, letrados e atuantes na imprensa e no cenário político-cultural das cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro na segunda metade do século XIX. A tese, orientada por Sidney Chalhoub, recebeu menção honrosa no Prêmio Capes de teses 2015.

LIVROS: Cafundó: a África no Brasil – Carlos Vogt e Peter Fry

Em 1978, o linguista Carlos Vogt e o antropólogo Peter Fry começaram a estudar a comunidade do Cafundó, no interior paulista, que ainda mantinha no vocabulário muitas palavras herdadas dos antepassados africanos. O resultado desse trabalho é o livro Cafundó: a África no Brasil, que foi escrito pelos dois. Eles conversaram com Ederson Granetto no lançamento da segunda edição da obra. 

DESCUBRA SÃO PAULO: Desigualdades raciais e desemprego entre os negros

O rendimento médio por hora dos negros, R$ 8,79, representava, em 2014, 63,7% do rendimento dos não negros, que era de R$ 13,80. O programam Descubra São Paulo discute dados como esse, que são parte da pesquisa “Os negros no mercado de trabalho da região metropolitana de São Paulo”, da Fundação Seade. Os convidados são o economista Alexandre Loloian, da Fundação Seade, e a professora do Departamento de Sociologia da FFLCH-USP, Márcia Lima. 

LITERATURA FUNDAMENTAL: Luiz Gama

A professora e pesquisadora Ligia Fonseca Ferreira, do IEB-USP e da UNIFESP, conta um pouco da trajetória e fala sobre a obra de Luiz Gonzaga Pinto da Gama, filho de uma negra livre e de um português, vendido como escravo pelo pai, que só aprendeu a ler com 17 anos, mas rapidamente transformou-se em poeta, militante republicano e abolicionista e rábula libertador de escravos. A professora conta de que forma Luiz Gama foi o primeiro escritor negro a assumir sua negritude na obra poética e a importância dele para a literatura brasileira. 

PEDAGOGIA UNESP/UNIVESP: A História, o africano e o afro-brasileiro

O programa, da disciplina Conteúdos e Didática da História do Curso de Pedagogia UNESP/Univesp, discute de que maneira os africanos são retratados pela História da Civilização. Concomitantemente, mostra como a lei 10.639, que torna obrigatório o ensino de História e Cultura Afro-Brasileira em todas as escolas brasileiras, tem contribuído para o deslocamento da perspectiva histórica africana, tradicionalmente centrada na Europa.

COMPLEMENTARES: Educação Quilombola

Confira entrevista com a pesquisadora Luanda Rejane Soares Sito, da UNICAMP. Ela responde a diversas questões sobre educação quilombola. 

JAZZ ICONS: Nina Simone

Nina Simone em duas incríveis apresentações em 1965 e 1968, que mostram essa diva multifacetada. Nina Simone brilha como extraordinária vocalista de jazz em “Tomorrow Is My Turn”, como uma intérprete popular em “The Ballad Of Hollis Brown” de Bob Dylan, e como uma apaixonada ativista dos direitos civis tanto no épico “Four Women” como no extasiante "Mississippi Goddam”. 

HISTÓRIA: Escravidão

Professora do Departamento de História da USP e ex assistente de Sérgio Buarque de Holanda, Suely Queiroz fala com a jornalista Mônica Teixeira sobre como a conjuntura social e política da década de 1960 refletiu na historiografia brasileira sobre a escravidão. Autora de um marco das novas reflexões sobre o tema, o livro “Escravidão negra em São Paulo: um estudo das tensões provocadas pelo escravismo no século XIX” (José Olympio, 1977), Suely conta sobre a transformação na ideia de que no Brasil a escravidão havia sido mais amena que nos demais países colonizados. 

HISTÓRIA: Escravidão nas Américas

A jornalista Mônica Teixeira ouve o historiador Rafael de Bivar Marquese sobre a escravidão moderna, ligada ao tráfico transatlântico negreiro, iniciada com a descoberta das Américas e do Caribe. Professor do Departamento de História da FFLCH-USP, Marquese é autor, entre outros, de “Feitores do corpo, missionários da mente” e “Senhores, letrados e controle dos escravos nas Américas 1660-1860” (Companhia das Letras, 2004). 

LIVROS: Você conhece aquela? Dagoberto Fonseca

O programa Livros recebe o pesquisador Dagoberto José Fonseca, estudioso da desigualdade racial, para falar sobre o lançamento do livro “Você conhece aquela? A Piada, o riso e o racismo à brasileira”, lançado pela editora Selo Negro. Ele explica para o jornalista Rodrigo Simon como os brasileiros fazem piadas sobre a condição racial, mantendo e alimentando o preconceito.